LinkedIn

Estamos com vagas abertas! Venha fazer parte do futuro do transporte! Acesse agora nossa página de Carreiras

hero image

Como é feito o transporte de cana-de-açúcar no Brasil?

Saiba mais:

O transporte de cana é um processo fundamental na cadeia produtiva dessa commodity. Veja como ele acontece no país e como é possível otimizar

Como é feito o transporte de cana-de-açúcar no Brasil?

A cana-de-açúcar é uma das principais culturas agrícolas do Brasil, com um papel relevante na economia do país. De maneira similar a outras commodities nacionais, o transporte do produto acontece pelo modal rodoviário, passando por estradas de terra e demais rodovias.

Contudo, a movimentação dessa carga envolve certos desafios, como o peso da cana-de-açúcar. Além disso, as características dessa cultura exigem o máximo de agilidade possível no seu transporte para aproveitar todo o potencial da cana.

Quer entender melhor sobre o assunto? Neste artigo, você verá a relevância da cana-de-açúcar para a economia brasileira e como acontece o seu transporte.

Qual a importância da cana-de-açúcar para a economia?

Como você viu, a cana-de-açúcar tem destaque no agronegócio brasileiro. Isso acontece porque o país é o maior produtor e exportador desse produto. Para se ter dimensão, a safra de 2023/24 foi de mais de 700 toneladas.

Com o resultado, o Brasil assumiu o papel de grande relevância no cenário global ligado à cana-de-açúcar. Afinal, essa foi a primeira vez na história que a safra alcançou esse nível de produção.

Cabe ressaltar que a cana-de-açúcar é fundamental para a economia brasileira devido à sua ampla utilização na produção de açúcar e etanol. Inclusive, o país já é o maior exportador mundial de açúcar.

Considerando apenas os 4 primeiros meses de 2024, as vendas de açúcar para o exterior foram de mais de 10 milhões de toneladas que geraram 4,7 bilhões de dólares de receita. O resultado é quase o dobro do mesmo período em 2023, conforme números preliminares do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC).

Já no que diz respeito ao etanol, o Brasil se posiciona como segundo maior produtor global desse combustível. É oportuno pontuar que o etanol pode reduzir em até 60% a pegada de carbono em comparação com a gasolina.

Outra questão relevante é que a cana-de-açúcar tem o potencial de trazer mais soluções pensando em sustentabilidade e energias limpas. Uma dessas alternativas é com o reaproveitamento da vinhaça — que é um resíduo poluente da transformação da cana.

Com o tratamento adequado, a vinhaça pode gerar biogás, sendo uma fonte de energia renovável para uso na própria usina de cana ou na venda para outras indústrias. Desse modo, o papel da cana-de-açúcar na economia se amplia. 

Como é o transporte de cana-de-açúcar?

O transporte da cana-de-açúcar é um ponto de destaque na cadeia produtiva dessa commodity. Um dos motivos é que a cana é um produto perecível, que começa a se deteriorar logo após a colheita.

Ademais, a cana-de-açúcar é volumosa, fazendo com que um planejamento eficiente para o manejo e transporte da carga seja essencial. Assim, minimizar o tempo entre a colheita e a moagem preserva a qualidade da cana-de-açúcar, garantindo um melhor aproveitamento da matéria-prima.

Vale saber que os caminhões usados no transporte da cana são veículos pesados e especialmente adaptados para lidar com as características específicas desse tipo de carga. Um exemplo são os caminhões conhecidos como Romeu e Julieta — com capacidade para cerca de 30 toneladas.

O uso do treminhão também é comum no transporte da cana. Nesse caso, há uma combinação que une um Romeu e Julieta a um terceiro reboque, podendo transportar mais de 50 toneladas de cana-de-açúcar.

Por fim, há o uso de rodotrem, que é um cavalo mecânico com dois semi-reboques. Ele é capaz de transportar cargas de até 74 toneladas, mas seu uso depende da legislação local e das especificações do veículo.

A ilustração a seguir, publicada pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), exemplifica:

Quais os desafios para o transporte da cana-de-açúcar?

Chegando até aqui, você já entendeu que um dos principais desafios ligados ao transporte de cana-de-açúcar é a agilidade. Tenha em mente que qualquer atraso pode resultar em perda de qualidade da cana e eficiência operacional.

Mas há mais pontos que exigem atenção. Confira!

Condições das estradas

Apesar de grande parte do transporte de cargas no Brasil ser realizado pelo modal rodoviário, a qualidade das vias costuma ser aquém das expectativas. Para se ter dimensão, uma pesquisa da Confederação Nacional de Transportes (CNT) mostrou que quase 70% das rodovias brasileiras apresentam problemas.

Além disso, grande parte das estradas rurais por onde circulam os caminhões de cana-de-açúcar apresentam buracos, erosões e falta de pavimentação adequada. O cenário tem o potencial de aumentar o tempo de viagem e o desgaste dos veículos, elevando os custos com manutenção.

Características da carga

Outro ponto de atenção são as próprias características da carga. Como você sabe, a cana é um produto perecível e volumoso. Portanto, um planejamento eficaz para a distribuição e transporte da carga será essencial.

Segurança

Mais um fator é a segurança na estrada, exigindo a adoção de cuidados em relação aos caminhões e as práticas adotadas pelo motorista. Para ilustrar, houve um aumento nos acidentes de trânsito em 2023, ampliando também a taxa de mortalidade.

No transporte de cargas, outro cuidado relevante tem relação com o risco de tombamento. De acordo com uma pesquisa, essa é a segunda maior causa de acidentes dos acidentes com caminhões — atrás apenas das colisões. 

Portanto, é essencial que os motoristas de caminhões de carga adotem práticas de segurança e de direção defensiva — pensando não apenas na segurança da carga, mas nas estradas como um todo. 

Como otimizar o transporte da cana-de-açúcar?

Para otimizar o transporte da cana-de-açúcar, o uso de tecnologias na logística assume uma função relevante. Os sistemas podem considerar variáveis como condições das estradas, tráfego, distância e tempo de viagem para determinar as rotas mais eficientes.

A logística ainda contribui com o aumento na eficiência. Isso acontece porque planejar a colheita de modo que ela seja sincronizada com a capacidade de transporte e processamento das usinas minimiza o tempo de espera e a deterioração da cana.

No mais, é interessante dar atenção aos tipos de caminhões utilizados no transporte da cana. Por exemplo, fazendo a transição para uma frota que não necessita de combustíveis fósseis, as empresas podem reduzir seus custos, ao passo que contribuem com a sustentabilidade.

Como você entendeu, o transporte de cana é uma etapa que exige atenção na cadeia produtiva desse produto relevante para a economia brasileira. Por isso, vale a pena avaliar métodos para ter mais eficiência.

Quer saber quais as soluções da LOTS pensando no seu transporte e na sua logística? Confira como combinamos novas tecnologias com um processo Lean!

Moving you ahead